quinta-feira, dezembro 04, 2014

Nomes e números da Taça Intercontinental (3)... 1962

TAÇA INTERCONTINENTAL

Ano de 1962
O Santos da década de 60 - liderado por Pelé - é considerada como uma das melhores equipas de sempre
da história do futebol planetário...
... e em 1962 ergueu a primeira de duas taças Intercontinentais conquistadas



1ª mão

Santos (Brasil) - Benfica (Portugal): 3-2

Data: 19 de setembro de 1962
Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (Brasil)
Árbitro: Rúben Cabrera (Paraguai)

Santos: Gilmar, Lima, Mauro, Calvet, Dalmo, Mengalvio, Zito, Dorval, Coutinho, Pelé, e Pepe. Treinador: Lula.

Benfica: José Rita, Ângelo, Humberto, Raúl, Cruz, Cavém, Coluna, José Augusto, Santana, Eusébio, e Simões. Treinador: Fernando Riera.

Golos:1-0 (Pelé, aos 31m), 1-1 (Santana, aos 58m), 2-1 (Coutinho, aos 64m), 3-1 (Pelé, aos 85m), 3-2 (Santana, aos 87m).
Liderados pelo génio de Pelé, o Santos fez do gigante (Estádio) Maracanã a sua casa
no encontro da 1ª mão ante o bi-campeão europeu Benfica. A turma portuguesa saiu do Rio de Janeiro com uma derrota, mas a julgar pela (excelente) exibição obtida trouxe para Lisboa uma "mala" cheia de confiança que dali a sensivelmente um mês iria derrotar os campeões sul-americanos e levar a decisão para um terceiro jogo. Inclusive, já estavam a ser comercializados bilhetes para esse hipotético terceiro encontro (!!!) que na realidade não viria a acontecer muito por culpa de uma atuação endiabrada de Pelé.

2ª mão

Benfica (Portugal) - Santos (Brasil): 2-5

Data: 11 de outubro de 1962
Estádio: Luz, em Lisboa (Portugal)
Árbitro: Pierre Schwinte (França)

Benfica: Costa Pereira, Jacinto, Germano, Raúl, Cruz, Cavém, José Augusto, Santana, Eusébio, Coluna, e Simões. Treinador: Fernando Riera.

Santos: Gilmar, Mauro, Dalmo, Olavo, Calvet, Zito, Dorval, Lima, Coutinho, Pelé, e Pepe. Treinador: Lula.

Golos: 0-1 (Pelé, aos 15m), 0-2 (Pelé, aos 25m), 0-3 (Coutinho, aos 48m), 0-4 (Pelé, aos 64m), 0-5 (Pepe, aos 77m), 1-5 (Eusébio, aos 85m), 2-5 (Santana, aos 89m).
No encontro da Luz, o guarda-redes luso Costa Pereira não fez outra coisa senão ir buscar a bola ao fundo da baliza. Muito por culpa de Pelé, autor de três golos e de uma exibição endiabrada que eclipsou por completo um Benfica a quem nem Eusébio valeu. Para a história fica o resumo - extraído de um jornal brasileiro da época - do "vendaval" do Estádio da Luz, que deu o primeiro título mundial ao Peixe - alcunha pela qual é conhecido o Santos. «Logo aos 17 minutos, Pepe chutou cruzado da esquerda e o Rei (Pelé) apareceu de carrinho para abrir o placar. Nove minutos depois, Pelé arrancou fora da área, passou por três marcadores e chutou cruzado para ampliar o placar.Assustados, os portugueses não ameaçavam o gol de Gilmar e viam um total domínio da máquina de jogar futebol vinda do Brasil. O Santos criava várias oportunidades com seu ataque arrasador e consolidou a goleada no segundo tempo.
Aos 3 minutos, Pelé fez linda arrancada pela direita, deu um drible da vaca no marcador e cruzou na medida para Coutinho. Na pequena área, o camisa 9 do Peixe só teve o trabalho de empurrar para as redes.
Mas o grande lance da partida viria aos 19 da etapa final. Pelé deu um drible humilhante no marcador, passou por três adversários e chutou forte. O goleiro Costa Pereira defendeu parcialmente e o Rei (Pelé) marcou no rebote.
Para fechar a goleada, Pepe recebeu um presente do goleiro português. O ponta esquerda do Peixe foi lançado, mas Costa Pereira se antecipou ao lance para ficar com a bola. O arqueiro do Benfica, porém, soltou a pelota nos pés do camisa 11 santista, que empurrou para as redes.
O Benfica ainda descontou duas vezes nos cinco minutos finais, com Eusébio e Santana. Mas até mesmo os torcedores portugueses se renderam às 11 camisas brancas que deram espetáculo no Estádio da Luz. O Santos conquistava o mundo pela primeira vez com a magia de Pelé e se tornava o adversário mais temido do planeta». 

 Vídeo: SANTOS - BENFICA


video
Vídeo: BENFICA - SANTOS
video

Nenhum comentário: