quarta-feira, outubro 31, 2012

Lista de Campeões... NextGen Series

É ainda uma competição praticamente desconhecida do grande público afeto ao "desporto rei". Criada apenas em 2011/12 a NextGen Series é uma prova de cariz internacional que dá os primeiros passos na cena futebolística. Em poucas palavras podemos classificar esta jovem competição como a Liga dos Campeões do futebol de formação a nível europeu. Destina-se a futebolistas até aos 19 anos de idade, uma espécie de Champions League Sub-19 para sermos mais precisos, e foi fundada com o intuito de promover as estrelas do futuro da modalidade. Os mentores da competição foram o produtor de eventos desportivos Justin Andrews e o diretor desportivo Mark Warburton, que ambicionavam ver os melhores jogadores e equipas de vários países da Europa competirem entre si numa prova de cariz internacional. A ideia foi posta em prática na temporada de 2011/12, tendo o primeiro clube a levantar o troféu (que podemos ver em cima) sido o Inter de Milão. 

2013: Aston Villa (Inglaterra)
2012: Inter (Itália)

segunda-feira, outubro 29, 2012

A minha coleção de cachecóis...


Salgueiros (Portugal)
FC Porto (Portugal)
Marítimo (Portugal)
Sport Clube Rio Tinto (Portugal)
Portugal
Fiorentina (Itália)
Valletta FC (Malta)
Real Mallorca (Espanha)
Celta Vigo (Espanha)
Glasgow Rangers (Escócia)
Ajax (Holanda)
Paris Saint-Germain (França)
Arsenal (Inglaterra)
Chelsea (Inglaterra)
Fundação Jorge Antunes (Futsal / Portugal)

quinta-feira, outubro 25, 2012

A "Libertadores" em números (16)...

COPA LIBERTADORES

1975

1ª fase

Grupo 1

Rosario Central (Argentina) - Newell's Old Boys (Argentina): 1-1

Cerro Porteño (Paraguai) - Olimpia (Paraguai): 0-0

Rosario Central (Argentina) - Cerro Porteño (Paraguai): 2-1

Olimpia (Paraguai) - Newell's Old Boys (Argentina): 2-0

Rosario Central (Argentina) - Olimpia (Paraguai): 1-1

Cerro Porteño (Paraguai) - Newell's Old Boys (Argentina): 0-1

Olimpia (Paraguai) - Cerro Porteño (Paraguai): 2-1

Newell's Old Boys (Argentina) - Rosario Central (Argentina): 1-1

Newell's Old Boys (Argentina) - Olimpia (Paraguai): 3-2

Cerro Porteño (Paraguai) - Rosario Central (Argentina): 1-3

Newell's Old Boys (Argentina) - Cerro Porteño (Paraguai): 3-2

Olimpia (Paraguai) - Rosario Central (Argentina): 0-0

Classificação

1-Rosario Central (Argentina): 8 pontos
2-Newell's Old Boys (Argentina): 8 pontos
3-Olimpia (Paraguai): 7 pontos
4-Cerro Porteño (Paraguai): 1 ponto

Rosario Central (Argentina) - Newell's Old Boys (Argentina): 1-0 (desempate)

(Rosario Central qualifica-se para a fase seguinte)

Grupo 2

The Strongest (Bolívia) - Jorge Wilstermann (Bolívia): 3-1

Huachipato (Chile) - Unión Española (Chile): 0-0

Jorge Wilstermann (Bolívia) - Huachipato (Chile): 0-0

The Strongest (Bolívia) - Huachipato (Chile): 1-0

Jorge Wilstermann (Bolívia) - Unión Española (Chile): 1-1

The Strongest (Bolívia) - Unión Española (Chile): 1-1

Jorge Wilstermann (Bolívia) - The Strongest (Bolívia): 1-1

Unión Española (Chile) - Huachipato (Chile): 7-2

Unión Española (Chile) - Jorge Wilstermann (Bolívia): 4-1

Huachipato (Chile) - Jorge Wilstermann (Bolívia): 4-0

Unión Española (Chile) - The Strongest (Bolívia): 4-0

Huachipato (Chile) - The Strongest (Bolívia): 4-2

Classificação

1-Unión Española (Chile): 9 pontos
2-Huachipato (Chile): 6 pontos
3-The Strongest (Bolívia): 6 pontos
4-Jorge Wilstermann (Bolívia): 3 pontos

(Unión Española qualifica-se para a fase seguinte)

Grupo 3

Cruzeiro (Brasil) - Vasco da Gama (Brasil): 3-2

Deportivo Cali (Colômbia) - Atlético Nacional (Colômbia): 0-0

Atlético Nacional (Colômbia) - Vasco da Gama (Brasil): 1-1

Deportivo Cali (Colômbia) - Cruzeiro (Brasil): 1-0

Atlético Nacional (Colômbia) - Cruzeiro (Brasil): 1-2

Deportivo Cali (Colômbia) - Vasco da Gama (Brasil): 2-1

Atlético Nacional (Colômbia) - Deportivo Cali (Colômbia): 2-1

Vasco da Gama (Brasil) - Cruzeiro (Brasil): 1-1

Cruzeiro (Brasil) - Atlético Nacional (Colômbia): 2-3

Vasco da Gama (Brasil) - Deportivo Cali (Colômbia): 0-0

Cruzeiro (Brasil) - Deportivo Cali (Colômbia): 2-1

Vasco da Gama (Brasil) - Atlético Nacional (Colômbia): 2-0

Classificação

1-Cruzeiro (Brasil): 7 pontos
2-Deportivo Cali (Colômbia): 6 pontos
3-Atlético Nacional (Colômbia): 6 pontos
4-Vasco da Gama (Brasil): 5 pontos

(Cruzeiro qualifica-se para a fase seguinte)

Grupo 4

LDU Quito (Equador) - El Nacional (Equador): 3-1

Deportivo Galicia (Venezuela) - Portuguesa (Venezuela): 0-0

LDU Quito (Equador) - Deportivo Galicia (Venezuela): 4-2

El Nacional (Equador) - Deportivo Galicia (Venezuela): 0-0

El Nacional (Equador) - Portuguesa (Venezuela): 5-1

LDU Quito (Equador) - Portuguesa (Venezuela): 1-1

Portuguesa (Venezuela) - Deportivo Galicia (Venezuela): 1-1

El Nacional (Equador) - LDU Quito (Equador): 2-2

Portuguesa (Venezuela) - El Nacional (Equador): 1-0

Deportivo Galicia (Venezuela) - LDU Quito (Equador): 0-1

Deportivo Galicia (Venezuela) - El Nacional (Equador): 4-0

Portuguesa (Venezuela) - LDU Quito (Equador): 1-1

Classificação

1-LDU Quito (Equador): 9 pontos
2-Portuguesa (Venezuela): 6 pontos
3-Deportivo Galicia (Venezuela): 5 pontos
4-El Nacional (Equador): 4 pontos

(LDU Quito qualifica-se para a fase seguinte)

Grupo 5

Peñarol (Uruguai) - Wanderers (Uruguai): 1-0

Unión Huaral (Perú) - Universitario (Perú): 1-1

Peñarol (Uruguai) - Unión Huaral (Perú): 5-2

Wanderers (Uruguai) - Unión Huaral (Perú): 4-0

Wanderers (Uruguai) - Universitario (Perú): 0-2

Peñarol (Uruguai) - Universitario (Perú): 0-1

Universitario (Perú) - Unión Huaral (Perú): 2-2

Wanderers (Uruguai) - Peñarol (Uruguai): 1-2

Universitario (Perú) - Wanderers (Uruguai): 3-1

Unión Huaral (Perú) - Peñarol (Uruguai): 0-3

Unión Huaral (Perú) - Wanderers (Uruguai): 2-2

Universitario (Perú) - Peñarol (Uruguai): 3-2

Classificação

1-Universitario (Perú): 10 pontos
2-Peñarol (Uruguai): 8 pontos
3-Wanderers (Uruguai): 3 pontos
4-Unión Huaral (Perú): 3pontos

(Universitario qualificase para a fase seguinte)

Isento: Independiente (Argentina)

2ª fase

Grupo 1

LDU Quito (Eqaudor) - Universitario (Perú): 0-0

LDU Quito (Equador) - Unión Española (Chile): 4-2

Unión Española (Chile) - Universitario (Perú): 2-1

Universitario (Perú) - LDU Quito (Equador): 2-1

Unión Española (Chile) - LDU Quito (Equador): 2-0

Universitario (Perú) - Unión Española (Chile): 1-1

Classificação

1-Unión Española (Chile): 5 pontos
2-Universitario (Perú): 4 pontos
3-LDU Quito (Equador): 3 pontos

(Unión Española qualifica-se para a final)

Grupo 2

Rosario Central (Argentina) - Independiente (Argentina): 2-0

Cruzeiro (Brasil) - Rosario Central (Argentina): 2-0

Cruzeiro (Brasil) - Independiente (Argentina): 2-0

Independiente (Argentina) - Rosario Central (Argentina): 2-0

Rosario Central (Argentina) - Cruzeiro (Brasil): 3-1

Independiente (Argentina) - Cruzeiro (Brasil): 3-0

Classificação

1-Independiente (Argentina): 4 pontos
2-Rosario Central (Argentina): 4 pontos
3-Cruzeiro (Brasil): 4 pontos

(Independiente qualifica-se para a final)

Final (1ª mão)

Unión Española (Chile) - Independiente (Argentina): 1-0

Data: 18 de junho de 1975

Estádio: Nacional, em Santiago (Chile)

Árbitro: Martínez Bazán (Uruguai)

Unión Española: Vallejos, Machuca, Berly, Soto, Arias, Palacios, Las Heras (Inostroza), Trujillo, Spedaletti, Ahumada, Hoffmann (Miranda)

Independiente: Pérez, Commisso, Sá, Semenewicz, Pavoni, Galván, Bochini, Rojas, Balbuena, Ruiz Moreno, Bertoni (Giribet)

Golo: 1-0 (Ahumada, aos 87m)

Final (2ª mão)

Independiente (Argentina) - Unión Española (Chile): 3-1

Data: 25 de junho de 1975

Estádio: Cordero, em Avellaneda (Argentina)

Árbitro: Barreto (Uruguai)

Independiente: Pérez, Commisso, Sá, Semenewicz, Pavoni, Galván, Bochini, Balbuena, Ruiz Moreno, Rojas, Bertoni

Unión Española: Vallejos, Machuca, Berly, Soto, Arias, Palacios, Las Heras (Maldonado), Inostroza, Spedaletti, Ahumada, Véliz (Trujillo)

Golos: 1-0 (Rojas, ao 1m), 1-1 (Las Heras, aos 56m), 2-1 (Pavoni, aos 58m), 3-1 (Bertoni, aos 83m)

Finalíssima

Independiente (Argentina) - Unión Española (Chile): 2-0

Data: 29 de junho de 1975

Estádio: Defensores del Chaco, em Assunção (Paraguai)

Árbitro: Pérez (Perú)

Independiente: Pérez, Commisso, Sá, López, Pavoni, Semenewicz, Galván, Bochini, Balbuena, Ruiz Moreno, Bertoni (Saggioratto)

Unión Española: Vallejos, Machuca, Maldonado, Gaete, Arias, Palacios, Inostroza (Las Heras), Véliz, Spedaletti, Trujillo, Ahumada

Golos: 1-0 (Ruiz Moreno, aos 29m), 2-0 (Bertoni, aos 65m)
TETRA CAMPEÃO DAS AMÉRICAS! Quatro títulos consecutivos, um feito até hoje só alcançado pelo mítico emblema de Avellaneda, que em 1975 encerrava com chave de ouro o ciclo mais brilhante da sua história, um período marcado pelas conquistas das quatro Libertadores consecutivas e por uma Taça Intercontinental. Curiosidade nesta edição o facto de pelo quinto ano consecutivo ter-se recorrido a uma finalissima para apurar o campeão (medida que haveria de ser reptida nas duas edições seguintes), um sinal claro do equilibrio que por aqueles dias imperava entre as equipas sul-americanas.

Melhores marcadores:

Fernando Morena (Peñarol), Oswaldo Ramirez (Universitario): 8 golos

Lista de Campeões... Gold Cup (Taça de Ouro)

Mundialmente conhecida por Gold Cup (Taça de Ouro) esta é a maior competição de futebol ao nível de seleções organizada pela CONCACAF (Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe), sendo disputada pelos países oriundos destas três regiões do continente americano. A fase final prova tem como sede os Estados Unidos da América (EUA), e só em duas edições (1993 e 2003) ela foi estendida ao México. Mexicanos que a par dos vizinhos e grandes rivais dos EUA são os grandes dominadores do certame (que desde a edição de 2003 é realizada de 2 em 2 anos), sendo que os primeiros são o país que mais Gold Cup's guarda nas suas vitrinas, 7 para sermos mais precisos. 

1991: Estados Unidos da América
1993: México
1996: México
1998: México
2000: Canadá
2002: Estados Unidos da América
2003: México
2005: Estados Unidos da América
2007: Estados Unidos da América
2009: México
2011: México
2013: Estados Unidos da América
2015: México

sexta-feira, outubro 19, 2012

Grandes Mestres do Jornalismo Desportivo (12)... Carlos Arsénio

O seu nome integra de forma indiscutível o dream team dos mestres do jornalismo desportivo português, consequência natural de uma notável carreira edificada ao longo cerca de meio século. Talentoso homem das letras e profundo conhecedor dos caminhos futebolísticos ele fez - e continuará a fazê-lo para a eternidade - parte da geração de ouro dos jornalistas desportivos lusitanos, colocando a sua estrela ao lado da de lendas como Artur Agostinho, Homero Serpa, Aurélio Márcio, Vítor Santos, ou Cruz dos Santos. Hoje, o Museu Virtual do Futebol abre as suas portas para evocar o nome de Carlos Arsénio, reconhecido ícone da comunicação social desportiva notabilizado ao serviço - sobretudo - do jornal Record.
Carlos Matias Arsénio, de seu nome completo, veio ao mundo a 25 de maio de 1936, tendo como berço a Golegã. Com o nascimento da década de 60 do século passado deu o tiro de partida na sua briosa e ímpar carreira profissional, entrando em 1961 para o jornal que o haveria de tornar célebre, e que ele - o próprio Carlos Arsénio - ajudou a tornar igualmente célebre.
Record, jornal que aquando da chegada do mestre do jornalismo desportivo que hoje visitamos era um menino de apenas 12 anos, guarda nas suas páginas largas dezenas - ou centenas para sermos justos - de brilhantes trabalhos assinados por este vulto, trabalhos onde a clareza e simplicidade das palavras articuladas com uma objetividade imperial foram tidos como exemplos a seguir pelas gerações seguintes de jornalistas ligados ao desporto. Não são de estranhar pois os inúmeros galardões com que foi brindado ao longo da sua carreira, com destaque para a Medalha de Mérito Desportivo, prémio que lhe seria atríbuido pelo Governo português em 2005. As questões da arbitragem no futebol sempre mereceram da sua parte uma atenção muito especial, tendo ao longo da sua carreira deslumbrado os leitores com um vasto naipe de trabalhos de cariz pedagógico alusivos à temática, dedicação e interesse este que em 2009 levou a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol a atribuír-lhe o título de sócio honorário desta associação.
E porque um artesão das palavras nunca as deixa de trabalhar, mesmo quando já afastado das grandes lides profissionais, Carlos Arsénio tem-se dedicado nos últimos anos à publicação de livros - alusivos ao desporto, claro está -, sendo uma das suas obras de maior craveira e renome o manuscrito intitulado "Ribatejo, Terra de Campeões", editado em 2008. O seu livro mais recente foi editado em 2009, e dá pelo nome de "Campo de Ourique, Bairro de Campeões", e contou com apoio da Câmara Municipal de Lisboa.
(Nota: Carlos Arsénio faleceu no dia 10 de novembro de 2012)

quinta-feira, outubro 18, 2012

Lista de Campeões... Campeonato da Europa de Sub-17

Tal como acontece com o Europeu de Sub-19 a UEFA organiza anualmente o Campeonato da Europa de Sub-17. O torneio é como o próprio nome indica destinado a jogadores com idades até 17 anos, e surgiu em 2001, ficando como herdeiro do desaparecido Campeonato da Europa de Sub-16. Os quatro semi-finalistas de cada edição do Euro de Sub-17 garantem desde logo a qualificação para o Mundial da categoria do ano seguinte. Espanha, Holanda, França, Inglaterra e Rússia com 2 títulos cada, são os países mais vitoriosos da jovem competição uefeira. Vejamos a gloriosa lista de campeões.
Dinamarca 2002 - VENCEDOR: SUÍÇA
Portugal 2003 - VENCEDOR: PORTUGAL
França 2004 - VENCEDOR: FRANÇA
Itália 2005 - VENCEDOR: TURQUIA
Luxemburgo 2006 - VENCEDOR: RÚSSIA
Bélgica 2007 - VENCEDOR: ESPANHA
Turquia 2008 - VENCEDOR: ESPANHA
Alemanha 2009 - VENCEDOR: ALEMANHA
Liechtenstein 2010 - VENCEDOR: INGLATERRA
Sérvia 2011 - VENCEDOR: HOLANDA
Eslovénia 2012 - VENCEDOR: HOLANDA
Eslováquia 2013 - VENCEDOR: RÚSSIA
Malta 2014 - VENCEDOR: INGLATERRA
Bulgária 2015 - VENCEDOR: FRANÇA
Azerbaijão 2016 - VENCEDOR: PORTUGAL