quinta-feira, setembro 22, 2011

Momentos altos da vida... do Clube Marechal Gomes da Costa

Mesmo estando muito longe das luzes da ribalta apontadas ao seu “irmão” profisssional o futebol amador não se encontra despido da magia e paixão implícitas no belo jogo. Joga-se em frios e desconfortáveis campos de terra batida por “crianças adultas” anónimas que enfrentam as mais diversas dificuldades com uma entrega e paixão maior que a sua própria alma. Tudo por amor ao simples e divertido jogo de futebol. Aqui os clubes sobrevivem por carolice dos seus atletas e dirigentes, ou... atletas/dirigentes, sim porque em muitos emblemas homens há que acumulam um e dois cargos ao mesmo tempo. Não existe profissionalismo, mas somente uma grande dose de paixão pela bola. Hoje iremos percorrer um pouco da bela história de um dos emblemas amadores mais acarinhados da Cidade do Porto... o Clube Marechal Gomes da Costa... popularmente conhecido por MGC (cujo emblema acima podemos visionar).A colectividade foi fundada em 1 de Agosto 1965 e dedica-se exclusivamente ao futebol dos campeonatos amadores da Associação de Futebol do Porto. Tem a sua sede na freguesia de Lordelo do Ouro (Porto) e ao longo da sua vida mais de das centenas de futebolistas amadores vestiram com orgulho as suas cores (vermelho e branco). Esta é uma das primeiras fotografias de família, cuja data é no entanto por nós desconhecida.Nasceu com o intuito simbólico de representar uma das maiores avenidas da “Cidade Invicta”, a Marechal Gomes da Costa, e desde a sua fundação que apresentou como seu cartão de visita as seguintes características: ser um clube simples, dado a valores, com um enorme espírito de união, uma família! Aqui mais uma imagem cuja data desconhecemos, e onde se pode ver o histórico presidente do Salgueiros Carlos Abreu (o primeiro da fila de cima a contar da direita para a esquerda).
Alegria, orgulho, e paixão, três ingredientes que acompanharam a vida do MGC ao longo da sua existência, como se pode comprovar nestas duas fotografias também de épocas desconhecidas.Mesmo sendo puramente amador o MGC orgulha-se de ter visto alguns nomes sonantes do futebol português (entre jogadores, treinadores, ou dirigentes) ostentaram a sua mítica camisola. Nesta imagem, alusiva à época de 1979/80, sobressai José Guilherme Aguiar, conceituado dirigente desportivo e comentador de futebol (o primeiro na fila de cima da direita para a esquerda).O elemento mais mediático do futebol lusitano a representar o MGC foi talvez o jovem treinador que fez furor no Futebol Clube do Porto em 2010/11: André Villas-Boas (que nesta imagem referente à temporada de 1998/99 é o quarto na fila de cima a contar da esquerda para a direita).

Nenhum comentário: