sexta-feira, outubro 14, 2011

Momentos altos da vida... do Sport Comércio e Salgueiros

Há paixões que não se explicam, acontecem à primeira vista, enfeitiçam-nos e vivem para sempre nos nossos corações. Para mim o futebol é uma dessas paixões arrebatadoras e eternas, e dentro dele outros encantos foram sendo cravados na minha alma ao longo da minha existência. Um desses encantos dá pelo nome de Sport Comércio e Salgueiros, o emblema que trago estampado no meu coração. Sobre esta eterna paixão já aqui falei (na vitrina dedicada aos emblemas históricos) noutros capítulos desta minha viagem virtual pelo mundo encantado da bola, pelo que hoje passo apenas em revista alguns momentos deste histórico clube português que neste preciso ano comemora a bonita idade de 100 ANOS! Parabéns Salgueiros.
Uma imagem rara e carregada de nostalgia apresenta um grupo do então adolescente Sport Comércio e Salgueiros no longínquo ano de 1922.

Foto histórica de uma equipa... histórica. Este foi o Salgueiros que na temporada de 1943/44 participou pela primeira no Campeonato Nacional da 1ª Divisão. Uma aventura de curta duração, já que na época seguinte a turma salgueirista estaria de volta ao escalão secundário, uma vez que na temporada de estreia entre os grandes não foi além do último lugar, somando apenas três pontos, em consequência de uma vitória (em casa diante da Académica) e de um empate (também em casa, mas ante o Vitória de Guimarães).

Corria a temporada de 1956/57 quando o Salgueiros viveu aquele que se pode chamar como o primeiro momento alto da sua vida: a conquista do Campeonato Nacional da 2ª Divisão.
Um onze do Salgueiros na temporada de 1973/74, época em que o clube competiu na Zona Norte da 2ª Divisão Nacional.
Mário Reis (que na fotografia é o quarto da direita para a esquerda na fina de baixo) foi um dos mais célebres terinadores da história do Sport Comércio e Salgueiros. Aqui, em 1976/77 integra o plantel salgueirista que teve uma performance negativa na Zona Norte da 2ª Divisão Nacional, já que o pobre 14º lugar originou a queda ao terceiro escalão. Mas seria por pouco tempo...
Época 1977/78, memorável! O Salgueiros vence a Série B da 3ª Divisão Nacional e alcança a subida ao segundo escalão do futebol em Portugal. 
Na temporada seguinte (78/79) o Slagueiros realiza uma temporada tranquila na Zona Norte da 2ª Divisão Nacional, terminando o certame num confortável 7º lugar. 1978/79 fica sobretudo marcada pela aparição de um jovem proveniente do vizinho e rival Boavista, de seu nome Jorginho, que com o passar dos anos se iria tornar num ícone do clube.
1979/80, mais uma temporada passava na 2ª Divisão Nacional. Campeonato tranquilo fizeram jogadores como Jorginho, Nélito, Mariano, ou Ernesto, como comprova o 8º lugar final.

Ainda num tempo em que a bola era jogada em terra batida o Salgueiros marca - em 1981/82 - presença entre os grandes do futebol luso, isto é, na 1ª Divisão. Treinado por Henrique Calisto o grupo de Vidal Pinheiro foi uma das revelações da prova, sobretudo na primeira metade do campeonato, afastando desde cedo o cenário da descida de divisão do seu horizonte. No final o Salgueiral foi 10º, com 27 pontos somados. Desse grupo faziam parte jogadores como Jorginho, Soares, Costeado, ou um tal de Rui França, um jovem acabado de chegar do Estarreja e que com o passar dos anos se tornou num símbolo do clube.
Apesar de ter tido várias presenças nos escalões secundários do futebol português ao longo da sua história era à 1ª Divisão que o popular Salgueiros pertencia. Nesta foto uma equipa que na temporada de 82/83 participou no escalão maior, cuja classificação final foi um honroso 10º lugar (com 27 pontos somados em 30 jogos disputados). Em 85/86 o Salgueiros foi 11ª na classificação geral da 1ª Divisão, com 25 pontos. Nesta campanha destaca-se o facto de em Vidal Pinheiro (casa dos salgueiristas) não ter perdido um único jogo com os 3 grandes do futebol português. Apesar de contar nas suas fileiras com jogadores de renome do futebol nacional e internacional, casos de Romeu (ex- FC Porto e Sporting), Festas (ex- Sporting e FC Porto), e o internacional irlandês Mike Walsh (ex-FC Porto) o Salgueiros não fez uma boa campanha em 86/87. No final foi 14º, com 24 pontos, e só não desceu à 2ª Divisão porque na temporada seguinte o escalão maior foi alargado de 16 para 20 clubes, pelo que em 1986/87 ninguém foi despromovido.
Um onze do Salgueiros na temporada de 1987/88, na 1ª Divisão Nacional. Um grupo do qual faziam parte lendas salgueiristas como Pedro Reis, Madureira, Jorginho, Rui França, ou Carlos Brito. Desportivamente esta não foi uma temporada famosa para os encarnados de Paranhos, já que o 19º, e penúltimo lugar da classificação geral deu origem a uma nova descida de divisão.
Em 1989/90 mais um momento de enorme festa para os lados de Paranhos (freguesia onde nasceu o Salgueiros) com a conquista do segundo título nacional da 2ªDivisão. Por estas alturas já se fazia notar a mão de um homem que haveria de mudar a vida do clube: Zoran Filipovic. Sob a batuta deste célebre treinador o Salgueiros atingiria na época seguinte (90/91) a sua melhor classificação de sempre na 1ª Divisão, o 5º lugar, e melhor do que isso garantia pela primeira e única vez na sua história o "bilhete" para participar na Taça UEFA de 91/92.
Ora aqui está, o lendário plantel salgueirista em 1990/91, o tal que conseguiu um mágico 5º lugar e o consequente apuramento para a Taça UEFA da época seguinte. Gravados a letras de ouro na história do clube ficaram nomes como Vinha, Pedro Reis, Rui França, Nikolic, Leão, Milovac, Madureira, Nélson (que seria campeão do Mundo sub-20 em 1991), Djoncevic, ou Tozé.
O Salgueiros europeu de 1991/92. O plantel que participou na aventura da Taça UEFA dessa inolvidável temporada, e da qual fazia parte Jorge Plácido, o homem que entrou para a história do clube por ter marcado o solitário tento com que o Salgueiros bateu os franceses do Cannes na primeira mão da 1ª eliminatória da citada competição europeia. Em França o Salgueiral - liderado por Filipovic - seria eliminado na lotaria das grandes penalidades. No campeonato nacional da 1ª Divisão o clube salvou-se da descida em cima da meta...
Ainda na "era" de Filipovic o Salgueiros viveu em 92/93 uma temporada de sobressaltos... mas no final o principal objectivo da época foi conseguido com a manutenção na 1ª Divisão Nacional. Ainda assim duas coroas de glória foram alcançadas, o mesmo é dizer as duas vitórias conseguidas ante o gigante Sporting, em casa por 2-0 e em Alvalade por 1-0. Neste grupo destacavam-se os nomes de alguns jogadores que nos dias de hoje são verdadeiras lendas do clube, casos de Pedro Reis, Madureira, Vinha, Nikolic, Milovac, Renato, Rui França, ou Sá Pinto.Já sob a batuta de outro técnico que se tornou célebre em Vidal Pinheiro, Mário Reis, o Salgueiros alcançou em 94/95 um 11º lugar no Nacional da 1ª Divisão, com 39 pontos. No grupo sobressaía um avançado brasileiro portador de uma elevada qualidade técnica e um instinto goleador apurado, o seu nome era Edmilson.Ainda com Mário Reis ao leme o clube foi 12º em 95/96. Uma temporada onde os gigantes de Lisboa (Benfica e Sporting) sentiram bem o peso da Alma Salgueirista. Os benfiquistas foram goleados no Porto por 4-2 e não foram além de um empate a zero em casa diante dos pupilos de Reis, ao passo que o Sporting não conseguiu melhor do que dois emaptes a duas bolas nos confrontos com as águias do Norte. No plantel destacavam-se nomes como o guarda-redes internacional Pedro Espinha, Nandinho (que mais tarde chegou ao Benfica), Toni (avançado campeão do Mundo de sub-20 em 1991), ou o estratega Abílio (ex- FC Porto).Nome grande do futebol português enquanto jogador Carlos Manuel pegou em 96/97 nos destinos do "Salgueiral". E logo na estreia esteve quase a igualar a melhor classificação de sempre do clube na 1ª Divisão, o 5º lugar de 90/91. Quedou-se por um brilhante 6º posto, ficando às portas da UEFA (a somente um ponto do último clube a garantir o "passaporte" para as competições europeias da temporada seguinte). Na caminhada gloriosa destacam-se dois triunfos históricos, o primeiro em casa do FC Porto por 2-1, e o segundo em casa do Benfica, por 4-3 (!!!). 1997/98 foi mais uma época tranquila para os salgueiristas com a obtenção de um 8º lugar final entre os grandes de Portugal. Na baliza deste grupo destacava-se um nome grande da história do futebol lusitina, Silvino Louro de seu nome, um homem que durante anos defendeu as balizas do Benfica, FC Porto e da própria Selecção Nacional. Por lá continuavam as lendas do clube... Pedro Reis, Vinha, Renato, Nandinho, ou Abílio. 2001/02 foi uma época triste na vida do Salgueiros, já que foi a última em que o clube participou num Campeonato Nacional da 1ª Divisão antes de ter extinguido o futebol profissional anos depois. Nesta temporada os salgueiristas foram 16ºs. e desceram de divisão.

ALGUNS JOGOS HISTÓRICOS DA VIDA DO SPORT COMÉRCIO E SALGUEIROS

Sp. Espinho - SALGUEIROS (Jogo decisivo da época de 1989/90 para apurar quem subia à 1ª Divisão Nacional)
video
SALGUEIROS - Cannes (1ª mão da Taça UEFA de 1991/92)
video
 FC Porto - SALGUEIROS (Vitória histórica do SC Salgueiros nas Antas, na temporada de 96/97)
video
 SALGUEIROS - Sporting (Vitória sobre os lisboetas, em casa emprestada - Estádio do Bessa - a contar para o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 92/93) 
video
SALGUEIROS - FC Porto (Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 83/84)
video

Nenhum comentário: